Coração Galáctico

INDIVIDUALIDADE DA ALMA ANIMAL
A Alma-Grupo

Muito se tem falado que os animais são seres que não possuem Alma ou que se possuem fiz parte de um “todo coletivo’, negando suas individualidades como seres espirituais”.

Aceitar que os animais são seres que não possuam Alma ou que possuem uma Alma sem individualidade é o mesmo que negar os preceitos espíritas e a justiça de Deus, pois:

“Os animais conservam depois da morte a sua individualidade” (Kardec),

Esta tese de alma-grupo teria se iniciado na Antiguidade e depois foi absorvida pelos hindus. Em seguida foi introduzida em uma filosofia chamada teosofia, que surgiu em época próxima à Codificação Espírita.

Em relação a “Alma-grupo”, segundo o hinduísmo e a teosofia temos:

“Um animal durante sua vida no plano físico e durante algum tempo depois
no plano astral tem uma alma tão individual e separada como a do homem,
Mas quando o animal termina sua vida astral, não se reencarna em outro
corpo, e sim retorna a uma espécie de reservatório de matéria anímica que
se chamamos de Alma-grupo”. (Os mestres e a senda – C.W. Leadbeater).

Este conceito de alma-grupo, que muitos espíritas conhecem como o que foi exposto por Leadbeater (que é teosofista e não espírita) não condiz com a Doutrina Espírita, pois o Espiritismo assinala que os Espíritos estagiários do reino animal são Espíritos em evolucão ..

“Todos nós já nos debatemos no seu círculo evolutivo (dos animais)” (Emmanuel);

“Por ter passado pela fieira da animalidade, com isso o Homem não seria menos Homem e nem mais animal (Kardec)”;

“O Princípio inteligente se individualiza e se elabora passando pelos diversos graus da animalidade (Espírito da Verdade)” .

… que mantém sua individualidade na dimensão espiritual… “Os animais conservam depois da morte a sua individualidade” (Kardec) .

. .. e que finalmente reencarnam.

“Somos espíritos que animaram animais de antes” (Emmanuel) .

Não se tornam como se fosse uma gota de água no oceano e reencarnam seguidas vezes a fim de atingir o objetivo da evolução. “598. A alma dos animais conserva após a morte sua individualidade e a consciência de si mesma?

– Sua individualidade, sim” (Livro dos Espíritos)

“Se ela (a alma) não conservasse a individualidade, quer dizer, se ela fosse se perder no reservatório comum chamado grande todo, como as gotas de água no oceano, isso … seria como se não tivesse alma” (Obras Póstumas)

Individualização da alma dos animais

Mas se a “alma dos animais já é individualizada, por que encontramos na codificação o Espírito da Verdade falar em individualização do Princípio Inteligente?

Os animais seguem vários comportamentos padronizados para suas espécies. O Espírito da Verdade disse que uma ave sempre construirá o ninho do mesmo modo como faziam seus ancestrais, mesmo que nunca tenha sido ensinada a fazê-la. Isso acontece por causa de uma ação instintiva ligada ao corpo e não ao Espírito ou ao Princípio Inteligente que habita aquele corpo. À medida que o Espírito, que estagia em um corpo animal, começa a agir por sua própria vontade, independente da vontade do corpo, isto é, usando o seu livre-arbítrio, e começa a agir de modo particular e diferente do seu grupo, este começa a se individualizar, não como corpo, mas como Espírito. Este Princípio Inteligente começa a se diferenciar dos demais em termos de ações, que não são mais repetitivas e instintivas, mas por ações de sua própria vontade. À medida que se diferencia e pratica o seu livre-arbítrio, o Espírito evolui e a cada reencarnação recebe um corpo mais apto a expor o potencial que adquiriu ao exercitar sua vontade independente.

O Grande Todo ou Reservatório Universal.

Este é outro conceito que foge dos conceitos espíritas.

Nesta tese encontramos que o Espírito, ao desencarnar, perde sua individualidade e retorna para uma espécie de reservatório espiritual, onde seria como uma gota de água no oceano.

Nós sabemos que os Espíritos que se comunicam o fazem de forma inteligente. Se não fossem individualidades, como se comunicariam? Então somente pelas comunicações o Espiritismo já apresenta um meio de quebrar este sistema.

Repetimos aqui o que disse Kardec:

“Se ela (a Alma) não conservasse a individualidade, quer dizer, se ela fosse se perder no reservatório comum chamado grande todo, como as gotas de água no oceano, isso … seria como se não tivesse alma” (Obras Póstumas) e como foi dito que a alma dos animais sobrevive ao corpo, conclui-se que a alma dos animais também não se perde na existência deste suposto grande todo ou reservatório comum”.

Como vimos nos conceitos a respeito de Princípio Inteligente, percebemos que ele é a individualização do “Elemento Inteligente Uniiversal”, portanto já é um indivíduo desde sua criação, isto é, o Princípio Inteligente é individualizado desde o seu começo.

Deus cria incessantemente novos Princípios Inteligentes. Não foi uma criação que ocorreu em um determinado momento e deixou de acontecer:

“Deus sendo, por sua natureza, de toda a eternidade, criou de toda eternidade, e isso não poderia ser de outro modo; porque a qualquer época longínqua que recuemos, em nossa imaginação, os limites supostos da criação, restará sempre, além deste limite, uma eternidade” (Gênese).

“Deus ( … ) criou os seres espirituais de toda eternidade (Gênese)

Marcel Benedeti

Siga e Curta a Página